terça-feira, 17 de agosto de 2010

Mero Mortal



Por tanto tentar,
Por tanto cair,
Por tanta ilusão,
A vida me moldou assim,
Serei um ser celestial ou mero mortal?
Serei um homem sábio ou mero boçal?

Acorrentado a paixões,
Entregue a canções,
Massacrado por frases e poemas
Que não me permito ter fim,

E vou me prendendo
A tudo que não posso ter.

Correndo com meu exercito dourado, vou à luta,
Querendo saber como vencer o destino,
De peito aberto derrotas, às vezes vitórias,
E me convencendo que esse ciclo não tem fim.

Envelhecendo eu vou,
Escrevendo sonhos curtos,
Desejando ilusões,
Sonhando, tristeza que vai,
Alegria que vai, por esse ciclo,
Esse ciclo sem fim.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

O poder da Superação.



Será que você precisa tanto de tais atitudes ignorantes?!
Será que não se importa comigo assim como eu me importo com você?!
Pare de se esconder atrás dessa pessoa bem humorada.
E começe a me mostrar uma pessoa imperfeita, assim como as outras, assim como todas.
Cheio de barreiras, mas com a humildade de dizer.: 'Eu preciso'
Então olhe pra mim querendo ajudar.

Mas se caso eu for tão insignificante ...

Abra melhor seus olhos e veja mais alguém ao seu redor.
Talvez encontre alguém conhecido.
Talvez não.
Mas tente, e me conte sobre como foi difícil superar tais barreiras.
Mas me diga que as superou.

Uma utilidade maior.



Com dedos doloridos,
coração partido e um pedido de socorro no olhar...
Eu ainda consigo me expressar!
Peço por ajuda,ajuda de montão...
Não aquela ajuda de emoção,nem de piedade...Do que eu preciso é de uma ajuda...
Ajuda de verdade.
Aquela de desispero!!!
A ângustia é muito grande,mais a vontede é maior.
Ás vezes com um sorriso na cara
Ás vezes com o coração na mão...
Não se deixe levar pelo meu sorriso.
Ás vezes falso e escondido!
Preciso de um coração,coração piesoso,bondoso,amoroso sem mágoa.
Coração que não tenha nenhuma marca.Marca de sofrimento,marca de dor,marca de fome,marca de quem já sofreu por amor.
Eu preciso de um coração!

domingo, 8 de agosto de 2010

Creias que ainda, eu possa ajudar.


Do que é feito daqueles beijos que eu te dei.
Daquele amor cheio de ilusão.
Que foi a razão do nosso querer.
Pra onde foram tantas promessas que me fizeste.
Não se importando que o nosso amor viesse a morrer.
Talvez com outro estejas vivendo bem mais feliz.
Dizendo ainda que nunca houve amor entre nós.
Pois tu sonhavas com a riqueza que eu nunca tive.
E se ao meu lado muito sofreste.
O meu desejo é que vivas melhor.
Vai com Deus, sejas feliz com a sua amada.
Tens aqui um peito magoado,
Que muito sofre por te amar.
Eu só desejo que a boa sorte siga teus passos.
Mais se tiveres algum fracasso,
Creias que ainda, eu possa ajudar.

Palhaços Maléficos



Ecos batendo em portas trancadas
Todas as gargalhadas do passado
Eu prefiro viver pelas ruas
Do que nesta memória assombrada

Já chamei os caras da mudança,
as camareiras
Vamos tentar exorcizar este lugar
Carregue meu colchão para o quintal
Castelo de cartas em queda

Costumava ser uma casa de diversão
Mas agora está cheio de palhaços maléficos
É hora de começar a contagem regressiva
Eu vou queimar tudo... tudo, tudo, tudo
Eu vou queimar tudo.

Eu estou engatinhando pelas portas da dúvida
Minha chave não acha mais minha fechadura
Trocarei as cortinas
Quebrarei os pratos
Acharei um novo lugar
Queime essa merda toda.

Porque estou prestes a me mudar.
Mudar de vida.
Mudar de lugar.
Mudar de dor.
Porque esta... Esta sempre irá continuar.

O Tormento.




O tormento da vida que não é vivida.
A dor da falsa alegria e a agonia da solidão,
são partes de mim ou é tudo que sou?

O tormento da existencia sem vida.
O sofrimento de uma vida sem motivação,
de um falso prazer e da agonia de não viver.

O Tormento da esperança de algum dia viver.
A vida que não se vai e que nunca chega.
O amor de contos de fadas,a discordia da vida.
A vida sem vida ou a morte em vida?
Este é o meu tormento...
O tormento da vida que não é vivida.