segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Acordo Ultrapassado.


Vou esquecer o mundo
Por alguns segundos
Tiro um cochilo para recarregar as minhas baterias
Quem foi que criou essa nova categoria
Que acabo de descobrir que faço parte?
O ser estúpido que resolveu fazer essa arte

Será possível que alguém que se diz tão perfeito
Pode cometer o pior dos erros?
Criar-nos aos montes pra morrer de fome

Pois juro que não entendo
Por que raios esse pretensioso
Nos encheu de carne osso
Sangue e neurônios
Pra simplesmente fazer-lhe a vontade
E dizer-se sábio e nosso dono

Este velho esta mesmo gaga
Como ousou repetir bilhões de vezes
O que da primeira vez ele já errou?

Eu me rebelo
Nego a servi-lo como robô
Pois agora eu e meu grande ego
Nos retiramos desse acordo ultrapassado
Benfeitor de só um lado
Meu velho, nosso contrato expirou

Um comentário: