sábado, 26 de janeiro de 2013

A distância, a lágrima, a palavra, o tempo, tudo nos muda, e chega um ponto em que você percebe, que nem você e nem os que o cercam continuam iguais, o tempo nos desfez e nos acrescentou, nos resta a pergunta o que de um todo resistiu, será que se consegue definir por inteiro quem verdadeiramente somos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário